ptenfrdeitrues

Site In English França

segunda, abril 22, 2019
Você está aqui:Notícias»Mundo»Maduro bloqueia entrada de ajuda humanitária norte-americana na Venezuela
sexta, 08 fevereiro 2019 08:27

Maduro bloqueia entrada de ajuda humanitária norte-americana na Venezuela Destaque

Escrito por
Classifique este item
(0 votos)
Tanque de combustível bloqueia a passagem de veículos na ponte transfronteiriça de Tienditas, entre a Colômbia e a Venezuela, em Cucuta. FOTO Reuters Tanque de combustível bloqueia a passagem de veículos na ponte transfronteiriça de Tienditas, entre a Colômbia e a Venezuela, em Cucuta. FOTO Reuters

Camiões chegaram à cidade fronteiriça da Colômbia mas foram impedidos de entrar na Venezuela

Camiões de ajuda humanitária dos Estados Unidos destinados à Venezuela, que foram recusados pelo Presidente Nicolás Maduro, chegaram à zona de fronteira da Colômbia com este país.

Segundo a France Presse, são cerca de uma dezena de camiões com ajuda, incluindo alimentos não perecíveis e medicamentos, que já deram entrada no centro de armazenamento organizado pelas autoridades colombianas perto da ponte internacional de Tienditas, na cidade fronteiriça de Cúcuta.

Esta ajuda humanitária norte-americana surge após um apelo do autoproclamado Presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó.

A crise política na Venezuela agravou-se em 23 de janeiro, quando o líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, se autoproclamou Presidente da República interino e declarou que assumia os poderes executivos de Nicolás Maduro.

Guaidó, 35 anos, contou de imediato com o apoio dos Estados Unidos e prometeu formar um governo de transição e organizar eleições livres.

Nicolás Maduro, 56 anos, no poder desde 2013, recusou o desafio de Guaidó e denunciou a iniciativa do presidente do parlamento como uma tentativa de golpe de Estado liderada pelos Estados Unidos.

A maioria dos países da União Europeia, entre os quais Portugal, reconheceram Guaidó como Presidente interino encarregado de organizar eleições livres e transparentes.

A repressão dos protestos antigovernamentais desde 23 de janeiro provocou já 40 mortos, de acordo com várias organizações não-governamentais.

Esta crise política soma-se a uma grave crise económica e social que levou 2,3 milhões de pessoas a fugirem do país desde 2015, segundo dados da ONU.

Na Venezuela, antiga colónia espanhola, residem cerca de 300.000 portugueses ou lusodescendentes.

Fonte: Agência Lusa

Ler 48 vezes Modificado em sexta, 08 fevereiro 2019 08:42

Deixe um comentário

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.

Parceiros Educacionais

National Geographic   Discovery Channel    

Parceiros Tecnológicos


Teksmartit     IB6 WS CONSULTING

Usamos cookies para melhorar nosso site e sua experiência ao usá-lo. Os cookies utilizados para o funcionamento essencial deste site já foram definidos. To find out more about the cookies we use and how to delete them, see our privacy policy.

  I accept cookies from this site.
EU Cookie Directive Module Information