ptenfrdeitrues

Site In English França

domingo, junho 16, 2019
Você está aqui:Notícias»Mundo»Após prisão de Assange, WikiLeaks disponibiliza dezenas de documentos secretos
sábado, 13 abril 2019 16:37

Após prisão de Assange, WikiLeaks disponibiliza dezenas de documentos secretos Destaque

Escrito por
Classifique este item
(0 votos)

Por solicitação do próprio Julian Assange, detido na quinta-feira na embaixada do Equador, em Londres, o WikiLeaks libertou o acesso a todos os documentos do seu arquivo. Em causa estão milhares de dados secretos de governos e empresas de inúmeros países. 

Entre os documentos, constam informações sigilosas sobre o Governo dos Estados Unidos, o que provocou o pedido de extradição do fundador do WikiLeaks. No país, o ativista é investigado pelo vazamento dos documentos.

Os dados brutos mostram contratosatas de reuniões e documentos. Contudo, grande parte material já tinha sido divulgado pelo WikiLeaks. Ainda não se sabe se há entre os documentos com conteúdos comprometedores para os Governos, como os já revelados no passado pela organização.

Entre os documentos agora disponíveis na Internet, encontram-se mapas dos projetos de TGV em Portugal e um relatório da Polícia Judiciária sobre o caso do desaparecimento de Maddie McCann, tal como adiantou o Jornal de Notícias.

Nos ficheiros, constam diversos itens sobre as forças militares norte-americanas e os atentados de 11 de setembro. Timor-Leste é também um dos temas que se pode encontrar na lista com milhares de entradas.

 

Há ainda documentos que apontam que Steve Jobs, fundador da gigante norte-americana Apple, era seropositivo. Vários média internacionais, incluindo o CanalTech, contestaram os testes divulgados, alegando que são falsos. “De acordo com analistas da Apple, ambos os documentos já tinham vindo a público ainda quando Jobs estava vivo, e surgiram do site CNN iReport (…) em meados 2006, como uma tentativa de assustar os investidores da Apple e abaixar o valor das ações da empresa”, observa o portal.

 

Equador deteve pessoa ligada ao portal

Na sexta-feira, a ministra do Interior do Equador, Maria Paula Romo, informou que as autoridades do país detiveram uma pessoa ligada ao portal WikiLeaks.

Durante uma entrevista numa rádio local, Maria Paula Romo assumiu que a detenção “é para fins de investigação”, preferindo não entrar em mais detalhes. “Temos de ser muito cautelosos” com as investigações, afirmou, deixando claro que o seu Governo não vai “permitir que o Equador se torne num centro de pirataria continental”.

“Uma pessoa próxima à Wikileaks, que reside no Equador, foi detida esta tarde (quinta-feira), enquanto se preparava para viajar para o Japão”, revelou o Ministério do Interior na sua conta oficial no Twitter.

Com 47 anos, Julie Assange foi detido devido a um mandado de extradição norte-americano por “pirataria informática”, que será analisado numa audiência judicial em 2 de maio, e a um mandado emitido em junho de 2012 pela justiça britânica por não-comparência em tribunal, um crime passível de ser punido com um ano de prisão.

Ler 90 vezes Modificado em sábado, 13 abril 2019 16:47

Deixe um comentário

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.

Parceiros Educacionais

National Geographic   Discovery Channel    

Parceiros Tecnológicos


Teksmartit     IB6 WS CONSULTING

Usamos cookies para melhorar nosso site e sua experiência ao usá-lo. Os cookies utilizados para o funcionamento essencial deste site já foram definidos. To find out more about the cookies we use and how to delete them, see our privacy policy.

  I accept cookies from this site.
EU Cookie Directive Module Information